27 junho 2019

Conheça a Deus e deleite-se nele

A quarta pergunta do Breve Catecismo traz uma importante questão: “O que Deus é?”. Esta pergunta é de suma importância para a vida do homem, pois o que alguém entende a respeito de Deus determinará a forma como irá se portar em sua vida.

Isto pode ser visto claramente no ateísmo, por exemplo. Em outro texto escrevi que creio firmemente que o problema do ateu não é com Deus em si, mas com aquilo que Deus exige dos homens. Para livrar-se da ideia de um Deus que é Soberano e que faz exigências às suas criaturas o ateu simplesmente afirma que Deus não existe e, se ele não existe, não existe norma alguma superior a ser seguida.

É claro que isso não é novo. Davi afirma no Salmo 14 que “diz o tolo em seu coração: ‘Deus não existe’” – e que como resultado desse entendimento – “corromperam-se e cometeram atos detestáveis; não há quem faça o bem” (Sl 14.1 – NVI).

Entretanto, a falta de clareza a respeito de Deus não é notada somente entre os ateus. Aqueles que professam a religião de forma hipócrita e também muitos crentes piedosos padecem com este mesmo problema. Tome como exemplo o questionamento feito a Jesus pelos saduceus, que não criam na ressurreição. A fim de testá-lo estes homens perguntaram sobre a lei do levirato. Se um homem morresse seu irmão deveria tomar a sua esposa a fim de suscitar descendência ao falecido. Mas e se um homem morresse e seu irmão assumisse a sua esposa, vindo também a falecer, e isso ocorresse novamente com os sete irmãos, de quem seria a esposa na ressurreição? Está claro que eles querem pegar a Jesus numa contradição com a Lei.

A resposta de Jesus àqueles homens nos ajuda a entender o ponto: “Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus? (Mc 12.24). A partir do que disse Jesus fica claro que o pensamento e a crença errada provinha de não conhecer as Escrituras e, consequentemente, não conhecerem o poder de Deus. Curiosamente vemos esta sequência no Breve Catecismo, a pergunta anterior tratou de “qual é a coisa principal que as Escrituras ensinam?”, tendo como resposta “o que homem deve crer acerca de Deus, e o dever que Deus requer do homem”. Daí se perguntar, em seguida, o que Deus é? A crença em Deus precisa partir das Escrituras, como Jesus bem afirmou: “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (Jo 7.38).

Aqui vimos o problema daqueles que professavam a religião judaica, mas rejeitavam o Messias enviado. Vejamos o mesmo problema em um personagem conhecido, Moisés, homem usado por Deus para libertar o povo do cativeiro. Moisés viu muitos milagres da parte de Deus e acerca dele é dito que “nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, com quem o Senhor houvesse tratado face a face, no tocante a todos os sinais e maravilhas que, por mando do Senhor, fez na terra do Egito, a Faraó, a todo os seus oficiais e a toda a sua terra” (Dt 34.10).

A despeito disso, houve uma ocasião na vida deste servo de Deus em que ele pediu a morte, pois estava se vendo envergonhado diante do povo, por não poder lhe prover comida. Após reclamar com Deus sobre a forma como o Senhor o estava tratando, pedindo para morrer a fim de não ver a sua reputação ir mal diante do povo, o Senhor, irado, falou que daria tanta carne àquele povo que reclamava que chegaria a sair pelos narizes. Moisés questionou a Deus dizendo que o povo era muito grande e que não havia carne que bastasse para eles, ao que respondeu o Senhor o repreendendo: “Ter-se-ia encurtado a mão do Senhor? Agora mesmo verás se cumprirá ou não a minha palavra!” (Nm 11.1-23).

Perceba bem! Deus está, em outra palavras, perguntando a Moisés se ele havia esquecido do seu poder. Notamos, então, que a forma como Moisés estava se portando, a sua tristeza, vinha de um entendimento equivocado (ou esquecido) a respeito do Senhor. Foi preciso uma dura repreensão para Moisés retomar a sua confiança em Deus.

Tudo isso nos mostra a importância da pergunta 4 do Breve Catecismo. A questão sobre o que Deus é precisa ser muito mais do que um mero exercício intelectual. Estudamos acerca do ser de Deus a fim de saber como nos portar diante dele, a partir da obra de Jesus Cristo que redimiu pecadores, inimigos de Deus, que agora podem dar ouvidos à sua voz.

Saber quem Deus é, conhecer o seu caráter, tudo aquilo que ele revelou acerca de si mesmo na Escritura, deve nos levar a adorá-lo e servi-lo corretamente, tendo como resultado uma vida segura e satisfeita nele.

A resposta do Breve Catecismo é simples, mas profunda: “Deus é espírito, infinito, eterno e imutável em seu ser, sabedoria, poder, santidade, justiça, bondade e verdade”. Esta maravilhosa sentença, plenamente alicerçada naquilo que a Palavra revela a respeito do nosso Deus, traz a verdade de que, sendo espírito, o Senhor está em todo o lugar, o que chamamos de onipresença. Isso quer dizer que você nunca precisa sentir-se só, ainda que abandonado pelos homens. Também significa que todos os seus atos estão patentes diante dele, que não há como fugir de sua presença.

Deus, por ser eterno, nos garante que seus planos perfeitos nunca irão mudar. Você está nas mãos do Deus sábio que soberanamente guia a história a fim de que possa receber a glória que é devida ao seu nome. Sua sabedoria nos garante que tudo o que ele faz é bom, apesar de muitas vezes não compreendermos os seus caminhos. Ele tem todo o poder para levar à cabo tudo o que planejou, pois “não h á quem possa lhe deter a mão, nem lhe dizer: que fazes?” (Dn 4.35). Sua santidade é tamanha que, por não tolerar o pecado, puniu com a morte a seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, a fim de nos santificar para estar em sua presença. Nesta obra de Cristo temos, então, o exemplo de sua justiça: ele recebe pecadores, não sem antes punir os seus pecados e atribuir a eles a justiça de Cristo, daí ele ser justo e justificador.

Vemos em tudo isso a bondade de Deus, que em sua Palavra que é a verdade nos orienta, direciona, fortalece a fim de sermos um povo santo que o adora em Espírito e em verdade.

Você tem buscado conhecer a Deus? Qual tem sido o resultado deste conhecimento? Sabendo quem é o seu Senhor e nas mãos de quem você está, você poderá deleitar-se nele, tendo gozo e alegria a despeito das circunstâncias, sejam boas ou adversas.

0 comentários: